23 de novembro de 2010

Palestras: BOAS PRÁTICAS E INOVAÇÕES SOBRE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

MARROQUIM incentiva a participação de seus colaboradores em palestras, cursos e eventos relacionados a construção civil, buscando o aperfeiçoamento de seus profissionais e estudantes. O curso a seguir é mais um exemplo. BOAS PRÁTICAS E INOVAÇÕES SOBRE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Apresentação A indústria da construção ainda representa um grande desafio sob a ótica da segurança e saúde no trabalho, sendo responsável por um número significativo de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Na luta contra esse dramático quadro, está o CPR-AL – Comitê Permanente Regional Sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção em Alagoas. Trata-se de uma instância de controle social que tem multiplicado recursos e potencializado resultados, por meio de ações solidárias empreendidas por representantes do governo, dos trabalhadores, dos empresários e por profissionais que atuam neste setor. Diante do exposto, o CPR-AL está organizando o presente seminário, visando socializar experiências que resultaram na melhoria efetiva das condições de trabalho em canteiros de obra e incentivar a adoção dessas boas práticas pelas empresas construtoras. Tudo isso, na perspectiva de contribuir para um trabalho seguro, saudável e produtivo neste importante segmento econômico. Data: – 21 de julho de 2010 Local: – Auditório da Casa da Indústria – Av. Fernandes Lima, 385, Farol – Maceió – AL Público-Alvo – Construtores, engenheiros, operários, mestres e encarregados de obra; – Dirigentes sindicais, profissionais de RH, de gestão da qualidade e de segurança e saúde que atuam na indústria da construção; – Técnicos, tecnólogos, pesquisadores e estudantes envolvidos com temas relacionados ao binômio trabalho x saúde. Programação 8h – Acolhimento e credenciamento dos participantes 8h30 – Sessão de abertura 8h40 – Tema 1: ENVOLVIMENTO DA CONCESSIONÁRIA DE ENERGIA NUM PROGRAMA DE REDUÇÃO DE ACIDENTES ELÉTRICOS NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO – Carlos Alberto de Pontes e Soraia Di Cavalcanti Pinheiro – Auditores-Fiscais do Trabalho da SRTE-PB, Membros do CPR-PB 9h30 – Tema 2: PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS IMPLANTADO EM CANTEIRO DE OBRA Marco Antonio Rodrigues da Silva – Engenheiro Civil da Sólida Engenharia (AL) 10h10 – Intervalo para o lanche 10h30 – Tema 3: – SISTEMA DE ACOPLAMENTO DO CINTO DE SEGURANÇA NA LAJE A SER CONCRETADA – João Carlos Côrte Real – Engenheiro de Segurança do Trabalho da Moura Dubeux Engenharia (Recife), Membro do CPR-PE 11h10 – Sessão de debates 12h – Intervalo para o almoço 14h – Tema 4: – GRAMPOS-SUPORTE EMBUTIDOS NA LAJE COMO MEDIDA PARA EVITAR ACIDENTES POR QUEDAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA EM CONSTRUÇÕES PRÉ-MOLDADAS. – Roberto da Costa Barros Filho – Engenheiro de Segurança do Trabalho da Norcon Construções, Membro do CPR-SE 14h40 – Tema 5: – MANUTENÇÃO PREVENTIVA E ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS NOS EIXOS DOS ELEVADORES DE OBRA – Braulino Prado de Oliveira Júnior – Engenheiro Mecânico, Membro da ABEMEC/AL 15h20 – Intervalo para o lanche 15h40 – Tema 6: – VIVENCIANDO A MEDICINA DO TRABALHO NO DIA-A-DIA DA OBRA – Antônio José de Oliveira – Médico do Trabalho do SESI (AL) 16h20 – Sessão de debates 17h – Sessão de encerramento e entrega dos certificados Informações e Inscrições A CIPA: A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes do trabalho, das condições do ambiente do trabalho e de todos os aspectos que afetam sua saúde e segurança. A CIPA é regulamentada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) nos artigos 162 a 165 e pela Norma Regulamentadora 5 (NR-5), contida na portaria 3.214 de 08.06.78 baixada pelo Ministério do Trabalho. A constituição de órgãos dessa natureza dentro das empresas foi determinada pela ocorrência significativa e crescente de acidentes e doenças típicas do trabalho em todos os países que se industrializaram. A CIPA é composta de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto, ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos para setores econômicos específicos. No Brasil, esta participação, prevista na CLT, se restringe a CIPA, onde os trabalhadores formalmente ocupam metade de sua composição após eleições diretas e anuais. OBJETIVOS: O objetivo básico da CIPA é fazer com que empregadores e empregados trabalhem conjuntamente na tarefa de prevenir acidentes e melhorar a qualidade do ambiente de trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. A CIPA também tem por atribuição identificar os riscos do processo de trabalho e elaborar o mapa de risco, com a participação do maior número de trabalhadores e com a assessoria do SESMT .

23 de novembro de 2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *